KIMI RAIKKONEN É O MAIS RÁPIDO NO ÚLTIMO DIA DE TESTES DA PRÉ-TEMPORADA

Kimi Raikkonen (foto) da Ferrari foi o piloto mais rápido dessa sexta-feira e também com a melhor volta da pré-temporada quando os testes chegaram ao fim em Barcelona (Espanha). Com o tempo 1m18.634s, o finlandês campeão mundial de 2007, foi facilmente o melhor tempo de qualquer das dez equipes durante as duas semanas de testes antes da abertura da temporada no Grande Prêmio da Austrália. Durante a última sessão estava com céu claro e ensolarado quando as equipes foram para a pista na sua última oportunidade de poder testar. Nico Hulkenberg usou pneus ultra macios com seu carro Renault para fazer seu tempo mais rápido em 1m19.885s, antes de ser substituído pelo companheiro Jolyon Palmer na parte da tarde, que foi capaz de adicionar uma quantidade modesta de voltas no total. A equipe americana Haas teve uma manhã difícil, onde Romain Grosjean primeiro parou no pitlane e teve que ser empurrado de volta para a garagem. Depois rodou na curva 5 no final da manhã e causou a primeira bandeira vermelha da pista. Depois de voltar, o piloto francês parou na curva 9, mas a equipe foi capaz de recuperar o carro e voltar no período da tarde.

 

Mais dificuldades para a tradicional equipe McLaren, com Fernando Alonso parando duas vezes no circuito com seus problemas elétricos persistentes. A escuderia inglesa mais uma vez completou o menor número de voltas, mas Alonso foi capaz de diminuir o tempo da volta mais rápida da equipe do teste com pneus ultra macios, embora mais de dois e meio segundos fora do ritmo em comparação aos ponteiros. Lance Stroll terminou uma segunda semana de testes impressionando com mais de 120 voltas. O novato canadense não cometeu nenhum erro significativo durante a semana final do teste. Com a tradicional “hora de ouro”, antes do intervalo para o almoço, Raikkonen forçou um conjunto de pneus super macios e levou sua Ferrari número sete para 1m18.634s, cravando o tempo mais rápido do dia e das duas semanas de testes, sem sinais óbvios de poder ‘esconder o jogo’. Kimi cobriu mais de 100 voltas no dia, mas uma aparente falha no SF70H, restando cerca de 90 minutos no dia, pareceu que iria colocar uma parada no programa de testes da Ferrari. No entanto, o time de Maranello foi capaz de mandar Raikkonen de volta nos últimos minutos.

 

O espanhol Carlos Sainz, correndo em casa fez seu melhor tempo de testes na Toro Rosso, registrando a terceira melhor marca do dia. Depois de somar mais de 100 voltas ao total da equipe, Sainz parou na reta no final do dia com uma falha mecânica. A Mercedes calmamente marcou mais de 4.000 km e 1.000 voltas durante o teste de duas semanas, mas não parecia estar forçando ao seu máximo, com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton marcando tempos que estavam entre os melhores. Com o teste agora concluído, os pilotos só terão a oportunidade de ficar atrás dos volantes de seus novos carros no primeiro treino para o Grande Prêmio da Austrália, no próximo dia 24 de março, daqui a duas semanas.

 

 

 

John Surtees no Festival de Goodwood \ Divulgação

 

O ex-piloto inglês John Surtees (foto) morreu hoje aos 83 anos. Big John, como era conhecido no cenário do automobilismo, era o campeão mais velho ainda vivo. Ele ganhou o Campeonato da Fórmula 1 em 1964, com uma Ferrari, e ainda era conhecido por ser o único piloto ao ter conquistado títulos sobre quatro e duas rodas. Antes de correr na Fórmula 1 em 1961, o britânico foi tetracampeão (1956, 1958, 1959 e 1960) das 500cc (atual Moto GP) e tricampeão da extinta categoria 350cc (1958, 1959 e 1960), conquistando ao todo 38 vitórias em 49 largadas no mundial de Moto Velocidade. John Surtees foi o criador da Fundação Henry Surtees após a morte do seu filho, que tinha o mesmo nome, e faleceu durante uma prova da Fórmula 2 em Brands Hatch (Inglaterra) em 2009, com apenas 18 anos, após ter a cabeça acertada por um pneu. A organização visa, sobretudo entre diversas causas, em poder auxiliar pessoas que sofreram lesões na cabeça.

 

Além disso, Surtees foi dono de equipe, através da “Surtees Racing Organization” ao competir na Fórmula 1 entre os anos de 1970 e 1978. A equipe também participou dos campeonatos de Fórmula 2 e Fórmula 5000. O ex-piloto britânico estava internado desde fevereiro no St. Georges Hospital, em Londres, para tratar de problemas respiratórios, e já idoso ele não resistiu. A família divulgou um comunicado através da página de rede social Facebook da Fundação Henry Surtees.

Deixe uma resposta

Topo