NATAÇÃO EM MEIO A CRISE DISPUTA O TROFÉU MARIA LENK VISANDO O MUNDIAL

A natação do Brasil vive um dilema nas competições internacionais, isso porque está faltando menos de três meses para o Campeonato Mundial da modalidade, que será na Hungria. Os atletas brasileiros não sabem ainda quais os critérios de classificação para a principal competição do ano. O novo diretor geral da Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos (CBDA), o ex-nadador Ricardo Prado, disse que os critérios só serão definidos em reunião no dia 11 de maio, após o término do Troféu Maria Lenk, que será na próxima semana, como última seletiva antes da disputa do mundial. No ano passado, a entidade divulgou um boletim limitando as vagas até oito atletas por falta de verbas e uma dúvida com relação aos Correios como patrocinador principal da modalidade.

 

Mesmo após a prisão de Coaracy Nunes, que presidiu a entidade por quase 30 anos e o financeiro da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), com os próprios dirigentes afirmando que o atual critério será alterado. Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro do ano passado, competiram 33 nadadores. Nestes caso, a CBDA estabeleceu os índices para cada uma das provas, quem alcançava se classificava. Esta é a primeira vez em que os atletas terminarão o Troféu Maria Lenk sem saber se vão ou não competir no mundial. O evento começa na próxima terça-feira (2) no Rio de Janeiro, e contará com as presenças dos principais nadadores do país como: Bruno Fratus, Etiene Medeiros e João Gomez. Além deles, Cesar Cielo (foto) – único campeão olímpico da natação brasileira em Pequim 2008, que ficou de fora da Olimpíada no Rio de Janeiro.

 

Deixe uma resposta

Topo