ATLÉTICO VENCE O CRUZEIRO E GARANTE O TÍTULO MINEIRO DE 2017

Os primeiros minutos da partida decisiva do Campeonato Mineiro foram de poucas chances de gol e muito nervosismo, tanto do lado atleticano como no campo cruzeirense. Logo aos dois minutos, Hudson levou o primeiro cartão amarelo. O Cruzeiro tentava se impor, especialmente pelo lado direito. As investidas por parte de Mayke e Thiago Neves não conseguia finalizar diante da marcação pela defesa do Atlético. Já aos oito minutos, um lance de  perigo no ataque do Atlético quando Marcos Rocha cobrou o lateral na área, e Fred finalizou de carrinho para fora. Nã demorou e a rede balançou com Robinho carregou a bola entre o lado do Cruzeiro e tocou para Fred, onde o centroavante cruzou rasteiro e a bola passou pelos zagueiros Caicedo e Leo antes de chegar limpa para Robinho, que só empurrou para a rede de perna direita fazer 1 a 0 e muita festa das arquibancadas do estádio Independência.

 

A reação do Cruzeiro ao gol foi tentar trocar passes e buscar o empate. As duas linhas de quatro jogadores montadas pelo técnico Roger Machado para defender, no entanto, eram mais eficientes. Nos avanços pelas laterais, o Atlético levava perigo. Mas foi pelo centro que Robinho quase marcou o segundo aos 28 minutos. A bola até chegou a entrar, mas a arbitragem errou ao assinalar impedimento. A primeira finalização do Cruzeiro só saiu após 36 minutos. De longe, Diogo Barbosa finalizou para fora. Na parte final da primeira etapa da decisão, isso aos 41 minutos, Thiago Neves tocou de letra para fora e perdeu uma grande chance de poder empatar. Já nos acréscimos, Rafael Sóbis levou perigo pela esquerda, contudo o primeiro tempo acabou mesmo com a vitória parcial do Atlético sobre o Cruzeiro.

 

O técnico Mano Menezes resolveu ousar na volta para o segundo tempo quando substituiu o volante Hudson pelo centroavante Ramón Ábila. A tática deu certo já no começo, onde aos sete minutos, Rafinha aproveitou espaço para cruzar na área com Ábila matando a bola no peito e virou um belíssimo voleio para o gol balançando as redes e empatando o duelo em 1 a 1. Em outro lance, Arrascaeta passou de meia altura para Thiago Neves, ele sozinho arriscou um peixinho e cabeceou para fora. Os minutos seguintes foram de mais pressão do Cruzeiro, que conseguia criar oportunidades. O Atlético voltou a levar perigo somente aos 23 minutos, quando Cazares entrou no lugar de Robinho. No primeiro lance, o jogador equatoriano driblou três marcadores e cruzou, contudo Fred não alcançou a bola. Na jogada seguinte, Marcos Rocha desarmou Rafael Sóbis antes de fazer a transição ofensiva e tocar para Cazares, que encontrou Elias que estava livre na direita. O volante fez valer seu posicionamento ofensivo e encheu o pé para bater sobre o gol de Rafael ao fazer 2 a 1.

 

O Cruzeiro tentou resistir, mas o Atlético voltou a ter maior controle do jogo. Apesar de ter mais a bola, o Cruzeiro não conseguia chegar com tanto perigo e dava espaço para o maior rival. Em uma jogada de ataque aos 36, Fábio Santos recebeu de Fred, bateu cruzado e levou perigo ao gol de Rafael. Minutos depois, o jogo esquentou de vez. Em um lance polêmico, Adilson puxava contra-ataque quando o árbitro Igor Junio Benevenuto marcou falta de Rafinha. O jogador do Cruzeiro recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Após um princípio de confusão, foi a vez do próprio Adilson ser expulso. O volante impediu a passagem de Alisson, recebeu mais um cartão amarelo e deixou o gramado aos 42 minutos. Mas não havia mais tempo para uma possível reação por parte do Cruzeiro. Thiago Neves até tentou duas vezes de falta, mas parou na defesa de Victor. No final, mais um título do Atlético e festa da maioria dos torcedores presente no estádio Independência. Esta é a 44º vez que o Atlético conquista o Campeonato Mineiro de sua história e ser o maior detentor de títulos da competição estadual.

Deixe uma resposta

Topo