JOGADOR MURILO DO SESI E SELEÇÃO BRASILEIRA É PEGO EM EXAME ANTIDOPING

O jogador de Vôlei Murilo (foto) foi pego em um exame surpresa antidoping. O atacante do Sesi e ex-atleta da Seleção Brasileira teve atestado em seu sangue a substância proibida denominada como “Furosemida” que pode ser utilizada para auxiliar na perda de peso, mas tem o poder de esconder outras substâncias que tenham sido injetadas no corpo. A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) vai esperar a confirmação da contraprova para se manifestar, já que a FIVB (Federação Internacional de Voleibol) trata esse tipo de caso como um processo sigiloso, sem dar maiores informações dos tramites. O Sesi, atual clube de Murilo, promete dar total apoio ao seu atacante, tanto que confirmou a renovação do contrato do atleta, que agora passará a jogar como líbero no lugar de Serginho, de saída da equipe paulista. O clube irá apoiá-lo disse Alexandre Pflug -Diretor de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi (SP).

 

O jogador ainda aguarda o resultado da contraprova pedida, mas ele já agiliza a questão de sua defesa. O responsável por auxiliar o jogador será o advogado Marcelo Franklin, considerado um dos maiores especialistas em doping esportivo do Brasil. Franklin defendeu o nadador Cesar Cielo no ano de 2011, pego no antidoping com a mesma substância, e mais recentemente, às vésperas do Jogos do Rio 2016, a velocista Ana Cláudia Lemos, também pega no exame pelo uso do esteroide anabolizante “Oxandrolona” que poderia render até dois anos de suspensão. Em ambos os casos, o advogado teve saldo positivo. No caso do nadador Cielo levou uma advertência e a velocista Ana Cláudia ficou apenas cinco meses fora, podendo disputar a Olimpíada em solo brasileiro.

 

Murilo está de férias com a família no Rio Grande do Sul. Ele é casado com a também jogadora de Vôlei Jaqueline que atualmente defende o Minas, de Belo Horizonte. O jogador campeão pela Seleção Brasileira ainda não se pronunciou oficialmente sobre o ocorrido. O planejamento é que ele dê uma entrevista coletiva na próxima terça-feira (16), em São Paulo, ao lado do próprio advogado Marcelo Franklin. O especialista também participou da defesa do ex-jogador Deco, que no ano de 2013, jogando pelo Fluminense, foi flagrado no antidoping pelo uso da mesma “Furosemida”. Ele foi suspenso por um ano. No fim do caso quando já estava aposentado, Deco foi inocentado pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), tirando assim essa mancha de sua brilhante carreira como jogador de futebol.

Deixe uma resposta

Topo