CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE NATAÇÃO PASSA A TER NOVO PRESIDENTE

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) entidade responsável pelos esportes no país tem o seu novo presidente, trata-se de Miguel Cagnoni, (foto) de 72 anos, e ganhou a eleição na última sexta-feira (9), no Rio de Janeiro, e agora ficará no cargo por quatro anos, podendo concorrer na reeleição no ano de 2021. A Federação Internacional de Natação (Fina) declarou que não reconhecerá o resultado da eleição. A entidade vive sua maior crise da história. Após quase 30 anos no  poder, o ex-presidente Coaracy Nunes está preso desde o mês de abril, junto com outros três dirigentes por abuso de poder e corrupção. Nos resultados, a natação brasileira que tinha grande tradição nas competições saiu sem uma medalha da Olimpíada do Rio de Janeiro no ano passado.

 

Já na véspera da eleição, a Federação Internacional de Natação divulgou um comunicado que não reconhecerá o resultado porque o processo não está de acordo com as regras adotadas. A CBDA então minimizou a posição do federação máxima de competições destinados a piscinas e mares, mas os candidatos estão com certa preocupação com uma possível punição ao Brasil e isso pode até mesmo correr o risco de uma exclusão das competições internacionais no próximos meses. No pleito desta sexta-feira (9) podiam votar as 27 federações estaduais, 78 clubes, e um representante dos atletas, que é o semifinalista olímpico e campeão dos Jogos Pan-Americanos, Leonardo de Deus.

Deixe uma resposta

Topo