CRUZEIRO APRESENTA MUDANÇAS APÓS ELEIÇÃO E O TÍTULO DA COPA DO BRASIL

Reportagem Frederico Mesquita

 

HÁ ALGO DE PODRE NO REINO DO PENTACAMPEÃO

É da tragédia ‘Hamlet’ a origem da expressão ‘Há algo de  podre no reino da Dinamarca‘. A frase, proferida por Shakespeare, se referia a traições na trama da tragédia. A frase é usada para se referir a cada fato obscuro e corrupto. Quando dizemos ‘há algo de podre no reino da Dinamarca’, nos referindo sobre qualquer fato, o que estamos dizendo é que por trás daqueles fatos existem outros, não revelados, que cheiram mal. Essa tem sido a tônica no Cruzeiro nos últimos dias. Ironicamente, o Cruzeiro vive uma das maiores crises políticas de sua história apenas uma semana depois de conquistar o penta da Copa do Brasil. Wagner Pires de Sá foi eleito presidente do Cruzeiro na última segunda-feira. Ele tomará posse apenas no dia 31 de dezembro, no entanto, sua eleição já tem causado alterações no clube.

 

VICINTIN PUXA A FILA – Bruno Vicintin se reuniu no fim da manhã de quarta-feira (04) com Gilvan de Pinho Tavares, atual presidente do Cruzeiro, e Wagner Pires de Sá, mandatário eleito para o próximo triênio, e confirmou que não seguirá como vice-presidente de futebol. Vicintin confirmou que deixou o clube em função da nomeação de Itair Machado para o departamento de futebol a partir de janeiro de 2018 e disse que, se soubesse dessa intenção, não teria apoiado a campanha de Pires de Sá. Em áudio vazado nas redes sociais, Vicintin indicou que foi traído pelo novo presidente. “Eu cheguei, entreguei o cargo, chamei todo mundo, falei que não queria que ninguém tomasse qualquer decisão por minha causa, que o bem maior nosso é o Cruzeiro, mas que tinha minhas condições para trabalhar e que as que foram apresentadas não tinham sido as combinadas. Se eu soubesse que era isso não teria ajudado na eleição”, desabafou. Não bastasse isso, o presidente Gilvan de Pinho Tavares, que encerra sua gestão em dezembro, também rompeu com Wagner, a quem apoiou no pleito contra o opositor Sérgio Santos Rodrigues.

 

Assim como Bruno Vicintin, Gilvan discordou da nomeação de Itair Machado para exercer um cargo executivo no futebol. Uma das condições estabelecidas pelo atual presidente para apoiar o nome de Wagner Pires de Sá na eleição era manter intacta a estrutura do departamento: Vicintin como vice-presidente de futebol, Klauss Câmara como diretor-executivo, Tinga como gerente e Pedro Moreira como supervisor. A confirmação da saída de Bruno Vicintin gerou mudanças profundas no departamento de futebol. O gerente de futebol Tinga, por exemplo, já havia confidenciado à pessoas próximas que não seguiria em Belo Horizonte nesse cenário. E assim o fez.

 

TINGA PEDE PRA SAIR – Tinga está fora do Cruzeiro. Ele se reuniu na sede da rua Timbiras, no Barro Preto, com o presidente eleito, Wagner Pires de Sá, com o seu gestor do futebol, Itair Machado, e com o advogado do clube, Fabiano de Oliveira Costa. Ouviu da nova diretoria a intenção de que ele permaneça na Toca da Raposa II, fez uma consulta à sua esposa e respondeu de forma negativa, no início da tarde de sexta-feira (06).

 

KLAUSS DEVE SER DISPENSADO – Por opção do novo comando cruzeirense, o diretor de futebol Klauss Câmara, que está na Inglaterra, participando de um congresso, também não deve permanecer no clube. Ele assumiu o cargo no lugar de Thiago Scuro, que saiu por causa da sua ligação com Sérgio Santos Rodrigues, que foi o candidato derrotado por Wagner Pires de Sá na eleição da última segunda-feira (2). Quem tem mais chances de permanecer no clube é o supervisor Pedro Moreira. Existe a especulação de que Carlão, que exerceu a função no Ipatinga, quando Itair Machado era presidente do clube do Vale do Aço, poderia assumir o cargo. Mas diante de toda a confusão armada, isso não é mais certo.

 

MANO DIFICILMENTE VAI PERMANECER – A renovação de Mano Menezes e sua comissão técnica com o Cruzeiro seria difícil em qualquer situação. O desgaste natural de quase um ano e meio de trabalho na Toca II contribuiu muito para que sua permanência seja complicada. Seu primeiro contato com a nova diretoria será na semana que vem. Chegou a ser cogitada sua transferência para o Palmeiras, nos momentos de maior pressão sobre Cuca na temporada, com eliminações na Copa do Brasil e Libertadores. Mas na quinta-feira (05), em entrevista coletiva, o treinador palmeirense afirmou que seguirá no comando do clube em 2018 e que já trabalha na montagem do seu grupo de jogadores. Se isso realmente acontecer, aumentam as chances de Mano permanecer no Cruzeiro, mas outra possibilidade que pode se abrir é o São Paulo. O auxiliar técnico Sidnei Lobo confirmou que recebeu uma ligação de Itair Machado, nomeado vice presidente de futebol do Cruzeiro pela gestão Wagner Pires de Sá. Segundo Sidnei, houve uma sondagem sobre a motivação da atual comissão técnica de permanecer no clube em 2018. O braço direito de Mano também informou que o treinador gaúcho vai ouvir a proposta da nova diretoria.

 

MUDANÇA NA BASE – Nas categorias de base, o superintende Antônio Assunção vai deixar o clube. Ele só não oficializou ainda sua decisão por causa da presença do time sub-20 na final do Campeonato Brasileiro da categoria, contra o Coritiba. O jogo de ida será no próximo dia 12, na Arena do Calçado, em Nova Serrana, às 16h. A volta acontece no Couto Pereira, em Curitiba, dia 19, também às 16 horas.

 

QUEM CHEGA??? Além das mudanças administrativas, haverá alterações também em outros setores do clube. Marco Antônio Lage, ex- diretor de comunicação corporativa e sustentabilidade da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) na América Latina, assumirá a comunicação e o marketing do Cruzeiro. Marco Antônio Lage será uma espécie de gestor corporativo de um setor que terá o marketing, o departamento comercial e a comunicação unificados. Wagner Pires de Sá não confirmou se haverá mudanças drásticas em relação aos chefes de cada um desses setores. Entretanto, afirmou que essa tríade (marketing, comercial e comunicação) ficará subordinada a Marco Antônio Lage, que já iniciou seus trabalhos de planejamento visando o ano que vem.Atualmente, Marcone Barbosa dirige o marketing cruzeirense, Robson Pires o departamento comercial e Guilherme Mendes o setor de comunicação. Wagner não cravou que fará mudanças substanciais na chefia de cada um desses setores do clube. Entretanto, a chegada de Marco Antônio Lage pode sim culminar com o desligamento de algum profissional.

 

O RENEGADO – Itair Machado será o homem forte do futebol do Cruzeiro em 2018. Em entrevista, ele disse que está preparado para o desafio, descartou ceder à pressão de parte da torcida que desaprova o nome dele e cravou que vai propor ao técnico Mano Menezes um novo desafio, para tentar convencê-lo a ficar. Itair também comentou sobre os bastidores agitados da política do clube e diz que está sendo perseguido por uma “milícia digital da oposição”. Indagado se a pressão da torcida pode impedir que ele assuma o cargo, ele disse que “quem não quer pressão não pode trabalhar com futebol, tem que fazer outra coisa”. Itair ainda afirmou: “vou reverter e demonstrar minhas qualidades. Sou cruzeirense fanático também, sempre fui, quero o melhor para o clube. Eu já sou o homem forte do futebol do Cruzeiro, tenho um currículo longo. Já estamos planejando tudo, trabalhando muito. Vamos passar tranquilidade para os jogadores e a comissão técnica. O Cruzeiro será ainda mais forte em 2018”. E por fim, Itair foi categórico: “se eu não fizer um serviço bom, tem uma vantagem: não precisa ninguém me demitir, eu mesmo me demito porque eu sei que futebol é resultado”.

 

 

 

Deixe uma resposta

Topo